Show simple item record

Artigo de periódico

A greve como direito fundamental: características e perspectivas trabalhista-administrativas

dc.contributor.authorMagalhães, Aline Carneiro
dc.contributor.authorMiranda, Iúlian
dc.date.accessioned2015-12-16T14:01:25Z
dc.date.available2015-12-16T14:01:25Z
dc.date.issued2012-12
dc.identifier.citationMAGALHÃES, Aline Carneiro; MIRANDA, Iúlian. A greve como direito fundamental: características e perspectivas trabalhista-administrativas = Strike as a fundamental right: features and perspectives labor-administrative. Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região, Belo Horizonte, v. 56, n. 86, p. 53-76, jul./dez. 2012.pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/20.500.12178/74933
dc.description.abstract[por] Estuda o exercício do direito fundamental à greve. Tratando-se de um direito bastante debatido, seja no Brasil, seja em outros países em que a crise econômica mundial desencadeou inúmeros movimentos grevistas, entende-se que o tema, apesar de atual, ainda é carente de estudos interdisciplinares. Assim, fez-se uma pesquisa histórica do direito de greve no Brasil, analisando-se esse direito sob o prisma dos direitos fundamentais. Após, compreendeu-se como atualmente os trabalhadores da iniciativa privada e os servidores públicos civis exercem esse direito, em vista das limitações legais existentes. Por ¿m, constatou-se, à guisa de conclusão, como ainda é difícil conciliar os interesses dos grupos pro¿ssionais, por meio da utilização da greve, com os da sociedade em geral.pt_BR
dc.description.abstract[eng] This paper proposes a study of the exercise of the fundamental right to strike. Since this is a right rather debated, whether in Brazil or in other countries in which the global economic crisis triggered numerous strikes movements, it is understood that the study, though present, is still lacking in interdisciplinary studies. So, it was a historical research of the right to strike in Brazil, analyzed this right through the prism of fundamental rights. After, understood how the private sector workers and civil servants exercising this right, in light of existing legal restrictions. Finally, it was noted, in conclusion, as it is still dif¿cult to reconcile the interests of professional groups, through the use of the strike, with the wider society.pt_BR
dc.description.tableofcontentsA greve sob o prisma histórico-evolutivo: de delito a direito fundamental -- A greve no setor privado -- O direito de greve dos servidores públicos civis: A origem do vínculo dos servidores públicos e o exercício do direito de greve. O cerceamento ao direito de greve do servidor público. O posicionamento do Supremo Tribunal Federal no julgamento do mandado de injunção n. 708. Do exercício do direito de greve pelos servidores públicos civispt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofRevista do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região: vol. 56, n. 86 (jul./dez. 2012)pt_BR
dc.subjectDireito de greve, legislação, crítica, Brasilpt_BR
dc.subjectServidor público, greve, Brasilpt_BR
dc.subjectGreve, natureza jurídica, Brasilpt_BR
dc.subjectDireito de greve, aspectos constitucionais, Brasilpt_BR
dc.subjectDireitos e garantias individuais, Brasilpt_BR
dc.titleA greve como direito fundamental: características e perspectivas trabalhista-administrativaspt_BR
dc.title.alternativeStrike as a fundamental right: features and perspectives labor-administrativept_BR
dc.type.genreArtigo de periódicopt_BR
dc.identifier.rvbisys1006402
dc.relation.ispartoflinkhttps://hdl.handle.net/20.500.12178/72687pt_BR

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record