Show simple item record

Artigo de periódico

A responsabilidade do empregador em casos de discriminação racial ocorridos no ambiente de trabalho

dc.contributor.authorAraújo, Bruna de Sá
dc.date.accessioned2021-10-20T16:53:11Z
dc.date.available2021-10-20T16:53:11Z
dc.date.issued2021-07
dc.identifier.citationARAÚJO, Bruna de Sá. A responsabilidade do empregador em casos de discriminação racial ocorridos no ambiente de trabalho. Revista eletrônica [do] Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, Curitiba, v. 10, n. 101, p. 67-74, jul. 2021.pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/20.500.12178/193412
dc.description.abstractNão é segredo que o Brasil tem uma vergonhosa história de exploração do trabalho dos mais vulneráveis. Nos quase 400 anos de exploração capitalista de mão de obra escrava, predominantemente negra, estabeleceram-se no Brasil os alicerces do racismo estrutural que vivencia-se atualmente, e que tornam tão comuns violências de toda ordem, inclusive nos ambientes de trabalho. Muitas vezes o racismo se revela de forma sutil, sem a necessidade de uso de termos pejorativos. Outras vezes, o racismo se revela nas ilegais, porém recorrentes, exigências veladas de "boa aparência" para a contratação do empregado, ou ainda na ausência de representatividade de pessoas negras em cargos de liderança. Ainda que a Constituição Federal afirme que "todos são iguais perante a Lei" (art. 5º, primeira parte do caput), o cotidiano, em pleno século XXI, permite-nos perceber, com pesar, que uma parte da sociedade brasileira insiste em enxergar pessoas negras como cidadãos de segunda categoria e, a despeito da criminalização do racismo e da injúria racial, continuam a agir como superiores do mundo contemporâneo, ao humilhar e ridicularizar os cidadãos negros. Não se pode mais tolerar atos de vestígio capitalista escravocrata e racista, especialmente no ambiente de trabalho, como infelizmente tem sido visto repetidamente. O fato de a pessoa empregada ser, no local de trabalho, discriminada por motivos racistas, torna ainda mais grave o ato praticado. A pessoa trabalhadora passa cerca de um terço de sua vida no local de trabalho, são horas por dia na convivência daqueles que deveriam se respeitar e apoiar como pessoas humanas e como colegas de trabalho. Ser objeto de preconceito e segregação no ambiente de trabalho indubitavelmente gera sofrimento moral a quem sofre com esse tipo de atitude. Diante desse cenário real e hediondo no contexto brasileiro, o artigo traça as raízes da raça humana e elucida a falácia das subdivisões raciais. Também analisa o conceito do racismo e a sua positivação na legislação brasileira, tanto na lei constitucional, quanto na infraconstitucional, e especificamente na legislação trabalhista. Por fim, finaliza com uma abordagem sobre a discriminação racial no meio ambiente de trabalho e a responsabilidade do empregador em relação à tais condutas.pt_BR
dc.description.tableofcontentsA raça humana e a falácia das subdivisões -- O conceito de racismo e sua positivação na legislação brasileira -- Práticas de combate à discriminação na legislação trabalhista -- A discriminação racial no ambiente de trabalho e a responsabilidade do empregadorpt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofRevista eletrônica [do] Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região: vol. 10, n. 101 (jul. 2021)pt_BR
dc.subjectDiscriminação racial, Brasilpt_BR
dc.subjectResponsabilidade do empregador, Brasilpt_BR
dc.subjectDiscriminação no emprego, Brasilpt_BR
dc.subjectAmbiente do trabalho, Brasilpt_BR
dc.subjectRacismo, Brasilpt_BR
dc.subjectAção afirmativa, Brasilpt_BR
dc.titleA responsabilidade do empregador em casos de discriminação racial ocorridos no ambiente de trabalhopt_BR
dc.type.genreArtigo de periódicopt_BR
dc.identifier.rvbisys1205185
dc.relation.ispartoflinkhttps://hdl.handle.net/20.500.12178/192694pt_BR

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record