Show simple item record

Artigo de periódico

A concretude dos princípios da igualdade e da solidariedade como resposta à discriminação por doenças

dc.contributor.authorNunes, Ana Julia Fazenda
dc.date.accessioned2021-05-17T14:52:58Z
dc.date.available2021-05-17T14:52:58Z
dc.date.issued2014
dc.identifier.citationNUNES, Ana Julia Fazenda. A concretude dos princípios da igualdade e da solidariedade como resposta à discriminação por doenças. Cadernos da Escola Judicial do TRT da 4ª Região, Porto Alegre, v. 5, n. 8, p. 28-44, 2014.pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/20.500.12178/186133
dc.description.abstractA análise do princípio da igualdade nos conduz sempre a busca de sua antítese – a discriminação, que nos leva a identificação do primeiro ingrediente infalível para a sua percepção – o preconceito. Este, que se notabiliza por julgar ou conceituar através da generalização, banalização ou mistificação, enfocando alguma característica intrínseca ou extrínseca de alguém ou algo que tenha expressado ou realizado. Em seguida, constata-se a distinção entre as dimensões do indivíduo e seu grupo e a de outro indivíduo ou grupo, constituindo o alvo de censura, repulsa ou ignomínia. Por fim, a exposição de uma característica da pessoa, que revela o chamado fator de descrímen, um estigma que agrega à identidade da pessoa aquele traço revelador da vulneração aos princípios básicos da sua dignidade. O objeto, contudo, se limita à questão envolvendo o contexto em que estão inseridas as pessoas portadoras de alguma moléstia (doença, ocupacional ou não) ou identificadas por sequela física ou psicológica decorrente de acidente de trabalho típico, no ordenamento jurídico-social brasileiro. E o contraponto, com a avaliação desta problemática sob o ponto de vista do princípio da igualdade, e a sua investida do ponto de vista do princípio da solidariedade – considerando os princípios fundamentais insculpidos na Constituição Federal de 1988. A avaliação jurídico-social desta questão parte da constatação de que, atualmente, resta evidente a intenção de se rediscutir os limites da responsabilidade pública e da presença atuante (ou omissa) da sociedade civil, perante a descrença do Estado e a crescente competitividade no mercado e na economia global, somados ao individualismo cultuado e exportado para todas as culturas como uma resposta possível à crise mundial.pt_BR
dc.description.tableofcontentsAs políticas públicas e as reações da sociedade civil -- O princípio da solidariedade e a discriminaçãopt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofCadernos da Escola Judicial do TRT da 4ª Região: vol. 5, n. 8 (2014)pt_BR
dc.subjectDiscriminação no emprego, Brasilpt_BR
dc.subjectDoença profissional, Brasilpt_BR
dc.subjectPolítica de emprego, Brasilpt_BR
dc.subjectIgualdade (direito do trabalho), Brasilpt_BR
dc.titleA concretude dos princípios da igualdade e da solidariedade como resposta à discriminação por doençaspt_BR
dc.relation.referencesBrasil. Constituição (1988), art. 3ºpt_BR
dc.type.genreArtigo de periódicopt_BR
dc.identifier.rvbisys1195535
dc.relation.ispartoflinkhttps://hdl.handle.net/20.500.12178/87258pt_BR
dc.relation.referenceslinkhttps://www.lexml.gov.br/urn/urn:lex:br:federal:constituicao:1988-10-05;1988pt_BR

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record