Show simple item record

Artigo de periódico

Da ilusão de liberdade ao trabalho sem fim: o auge da informalidade no trabalho via plataforma digital da Uber

dc.contributor.authorLeal, Érica Ribeiro Sakaki
dc.contributor.authorSantos, Tácio da Cruz Souza
dc.date.accessioned2021-06-30T13:26:03Z
dc.date.available2021-06-30T13:26:03Z
dc.date.issued2021-05
dc.identifier.citationLEAL, Érica Ribeiro Sakaki; SANTOS, Tácio da Cruz Souza. Da ilusão de liberdade ao trabalho sem fim: o auge da informalidade no trabalho via plataforma digital da Uber. Revista eletrônica do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia, Salvador, v. 9, n. 13, p. 40-58, maio 2021.pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/20.500.12178/188672
dc.description.abstractCom o advento da 4ª Revolução Industrial e seus avanços tecnológicos sem precedentes, surgem as empresas digitais, que têm provocado uma dilatação da economia informal no mercado de trabalho, especialmente no Brasil. Nesse novo cenário, os trabalhadores submetidos a essas plataformas absorvem e incorporam um discurso midiático de alcance da liberdade e do sucesso através do "empreendedorismo". Sem notar que estão sendo capturados em sua subjetividade, engajam-se à nova sistemática e são vítimas de um aumento na intensificação do seu trabalho. Com efeito, o modelo do tempo cibernético promovido pelas plataformas, por meio dos algoritmos, sujeita os trabalhadores a um mecanismo de parcelamento das suas tarefas laborativas e uma baixa remuneração. Via de regra, os assalariados digitais são pagos unicamente pelas horas efetivamente laboradas, não sendo computado o tempo à disposição da empresa. Esse é o contexto considerado pelo artigo, que objetiva analisar criticamente as relações de trabalho informal nas plataformas digitais, especificamente pelos mecanismos da Uber, sob a ótica da suposta liberdade prometida aos trabalhadores. Será essa ‘autonomia" capaz de legitimar a expansão da exploração do tempo de trabalho sem quaisquer limites? Para tanto, utiliza-se como metodologia de pesquisa a revisão bibliográfica, a partir dos quais se busca tecer uma análise fático-jurídica das condições de trabalho desses assalariados digitais da Uber, além da consulta a dados secundários fornecidos por órgãos oficiais. A hipótese a ser confirmada no curso da pesquisa é de que, na era do capitalismo digital, o discurso que promete liberdade para o trabalho, sucesso via empreendedorismo individual e engaja milhares de trabalhadores nas plataformas tecnológicas é uma quimera. Em verdade, a superexploração do trabalho pelo capital parece vir ocasionando a perda progressiva dos limites temporais e da proteção legal que põem risco à integridade física e psicológica do trabalhador. Em um cenário de poucas opções e mera luta por sobrevivência, resta ao novo proletariado de serviços da Era Digital o "privilégio" de poder servir.pt_BR
dc.description.tableofcontentsOs avanços tecnológicos da indústria 4.0 e as plataformas digitais de trabalho -- A reestruturação do trabalho e o auge da informalidade -- O discurso empreendedor e a ilusão de liberdade do "parceiro" da Uber -- O tempo cibernético e o trabalho sem fimpt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofRevista eletrônica do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia: vol. 9, n. 13 (maio 2021)pt_BR
dc.subjectUber (Empresa)pt_BR
dc.subjectRelação de trabalho, inovação tecnológicapt_BR
dc.subjectAplicativo de tecnologiapt_BR
dc.subjectTrabalho informalpt_BR
dc.subjectJornada de trabalhopt_BR
dc.titleDa ilusão de liberdade ao trabalho sem fim: o auge da informalidade no trabalho via plataforma digital da Uberpt_BR
dc.type.genreArtigo de periódicopt_BR
dc.identifier.rvbisys1198628
dc.relation.ispartoflinkhttps://hdl.handle.net/20.500.12178/188571pt_BR

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record