Show simple item record

Artigo de periódico

Trabalho e desenvolvimento: cadeias produtivas transnacionais, relações de trabalho e o papel do sindicato

dc.contributor.authorTupiassú, Alessandra de Cássia Fonseca Tourinho
dc.date.accessioned2019-11-08T16:30:29Z
dc.date.available2019-11-08T16:30:29Z
dc.date.issued2011-04
dc.identifier.citationTUPIASSÚ, Alessandra de Cássia Fonseca Tourinho. Trabalho e desenvolvimento: cadeias produtivas transnacionais, relações de trabalho e o papel do sindicato. Revista Ltr: legislação do trabalho, São Paulo, v. 75, n. 4, p. 421-429, abr. 2011.pt_BR
dc.identifier.urihttps://hdl.handle.net/20.500.12178/164571
dc.description.abstractO crescimento econômico, embora constitua uma condição necessária, não garante o desenvolvimento de uma região ou país, especialmente em seu aspecto social. Assim, a estabilidade econômica não implicará em desenvolvimento se não acompanhada de mudanças estruturais que protejam ou até modifiquem as relações sociais. Porém, a busca da estabilidade econômica, segurança jurídica e financeira tem sido uma constante na exigência do mercado mundial. E, quando se tem em vista a economia globalizada, o discurso contrário ao capitalismo ou sua forma selvagem de lidar com direitos sociais torna-se repetitivo e inócuo, de modo que deve ser buscado o entendimento de sua estrutura e um caminho para sair de formas degradantes de se lidar com tal situação. O mito de que a mão invisível do mercado seria suficiente para garantir o trabalho — e com ele o meio de vida do indivíduo — foi derrubado há muito, e a realidade encarregou-se de comprovar a necessidade de certa regulamentação para garantia de um mínimo de oportunidade a todos e obrigações dirigidas àqueles que detém o meio de produção, como forma de equilibrar duas forças economicamente desiguais: o capital e o trabalho. Neste contexto, tem-se a observar que a economia globalizada, acompanhada pelo avanço tecnológico, diminuição de distâncias geográficas e culturais entre regiões, países, continentes tem aumentado sobremaneira a desigualdade social em virtude das diferentes formas com que vêm sendo tratados importantes atores deste processo, quais sejam os trabalhadores. Em momentos de crises, por exemplo, a história comprova o socorro governamental a empresas e, ultimamente de forma ostensiva, ao mercado financeiro. O que não impede demissões em massa e, geralmente, não é acompanhada de qualquer imposição para que estas não ocorram. Dados indicados pela Organização Internacional do Trabalho apontam que os esforços dos Governos para frear a crise passam sempre por políticas de apoio ao sistema financeiro e as empresas. Entretanto, apenas 9,2% dos recursos aplicados em 40 países destinaram-se a promover o emprego e os gastos em políticas sociais são de 1,8%. Tanto assim, que empresas que observaram crescimento em seu capital social e na quantidade de investimentos não tiveram a mesma melhoria na quantidade de postos de trabalho. Não se pretende, entretanto, discursar contra uma globalização inexorável e importante também para o desenvolvimento social, melhoria da qualidade de vida, descobertas científicas importantíssimas para o desenvolvimento da humanidade. O que se deseja é o estudo dos caminhos percorridos por empresas transnacionais e de que modo eles implicam na geração de emprego, aumento ou diminuição da renda do trabalhador, melhorias na qualidade de vida e precarização das relações trabalhistas. O estudo ocupa-se, ainda, com o papel dos sindicatos e algumas alternativas em busca de maior respeito pelos direitos sociais.pt_BR
dc.description.tableofcontentsCadeias produtivas transnacionais opções de investimentos -- Estratégias de investimentos e influência nas relações de trabalho -- O papel dos sindicatospt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.relation.ispartofRevista Ltr: legislação do trabalho: vol. 75, n. 4 (abr. 2011)pt_BR
dc.subjectMercado de trabalhopt_BR
dc.subjectEmpresa transnacionalpt_BR
dc.subjectFlexibilização do trabalhopt_BR
dc.subjectModo de produçãopt_BR
dc.subjectSindicalismopt_BR
dc.subjectSindicato, competênciapt_BR
dc.subjectTrabalho e capitalpt_BR
dc.titleTrabalho e desenvolvimento: cadeias produtivas transnacionais, relações de trabalho e o papel do sindicatopt_BR
dc.type.genreArtigo de periódicopt_BR
dc.identifier.rvbisys909955
dc.relation.ispartoflinkhttps://hdl.handle.net/20.500.12178/104975pt_BR

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record